Pesquisar

Mais de 70 mil migrantes já chegaram à Europa pelo mar em 2024

Mais de 1.200 migrantes morreram ou desapareceram em rotas marítimas até a Europa em 2024

Mais de 70 mil migrantes chegaram à Europa por vias marítimas desde o início de 2024, a maioria à Espanha e Itália, de acordo com dados do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Em 2023, mais de 270 mil migrantes chegaram à Europa pelo Mar Mediterrâneo, segundo a Agência.

No total, o ACNUR registrou 74.346 chegadas de migrantes à Europa em 2024, contando com chegadas por terra e mar. Desse total, 70.627 correspondem a chegadas pelas rotas marítimas até a Espanha, Itália, Grécia, Chipre e Malta e outras 3.719 correspondem às chegadas por vias terrestres à Grécia, Espanha e Chipre.

De acordo com a Agência, a maioria dos migrantes chegou à Espanha, onde foram registradas 24.952 chegadas até o dia 23 de junho, um aumento de 111% em comparação com 2023, sendo a maioria (19.326) através da rota do Oceano Atlântico até as Ilhas Canárias. Outros 5.626 migrantes chegaram ao país através do Mediterrâneo Ocidental, sendo 5.417 por mar e 209 por terra.

O ACNUR registrou, ainda, 24.716 chegadas de migrantes à Itália até 23 de junho, uma queda de 59% em comparação a 2023, quando 59.921 migrantes haviam chegado ao país no mesmo período. Segundo os dados da Agência, pelo menos 21% das chegadas no território italiano correspondem a nacionais de Bangladesh, seguidos por cidadãos da Síria (15%), Tunísia (14%), Guiné (10%) e Egito (6%).

Outras 20.062 chegadas foram registradas na Grécia pelo ACNUR, além de 4.439 em Chipre e 68 em Malta.

Em 2023, um total de 270.180 chegadas de migrantes à Europa foram registradas pelo ACNUR, o maior número desde 2016, quando 373.652 migrantes chegaram ao continente europeu, logo após as 1.032.408 chegadas em 2015, no auge da crise migratória do continente.

De acordo com o projeto Missing Migrants da Organização Internacional para as Migrações (OIM), pelo menos 1.045 migrantes morreram ou desapareceram ao tentar cruzar o Mar Mediterrâneo em 2024, sendo 870 no Mediterrâneo Central, 111 no Mediterrâneo Ocidental e 64 no Mediterrâneo Oriental. No ano passado, 3.155 mortes e desaparecimentos foram registradas na região.

Ainda segundo a OIM, pelo menos 268 migrantes morreram ou desapareceram na rota do Oceano Atlântico até as Ilhas Canárias desde janeiro de 2024. Em 2023, a Organização registrou 959 fatalidades na região.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
julho 2024
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]