Pesquisar

Mediterrâneo Central registra aumento de 115% nas travessias em comparação a 2022

Mais de 22 mil migrantes já morreram no Mediterrâneo Central desde 2014

De acordo com a Frontex, a agência da União Europeia para controle de fronteiras, de janeiro a julho, pelo menos 176.100 migrantes atravessaram irregularmente as fronteiras da UE, o maior número para o período desde 2016. Mais da metade chegou pela rota do Mediterrâneo Central.

Com 89.047 detecções de migrantes nos primeiros sete meses de 2023, o Mediterrâneo Central continua sendo a rota mais ativa para a UE. O número representa um crescimento de 115% em relação ao mesmo período de 2022 e, segundo a Frontex, é o maior total para a rota no mesmo período desde 2017.

Em julho, foram registrados 23.388 migrantes no Mediterrâneo Central, sem indicações de que o fluxo diminua nos próximos meses, “com contrabandistas oferecendo preços mais baixos para migrantes que partem da Líbia e da Tunísia em meio a uma competição acirrada entre os grupos criminosos”, afirma a Frontex.

Nas outras rotas, foram identificadas quedas nas travessias em comparação com 2022, que variam de 29% a 2%.

Segundo o projeto Missing Migrants da OIM (Organização Internacional para as Migrações), pelo menos 2.096 migrantes morreram ou desapareceram no Mediterrâneo em 2023, sendo a maioria (1.848) no Mediterrâneo Central.

Desde 2014, quando os dados da OIM começaram a ser contabilizados, 27.845 migrantes morreram ou desapareceram no Mediterrâneo, sendo 22.096 no Mediterrâneo Central, 3.452 no Mediterrâneo Ocidental e 2.297 no Mediterrâneo Oriental.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
junho 2024
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]