Pesquisar

Conferência Livre Nacional de Migração, Cidadania e Garantia de Direitos reúne migrantes e representantes da sociedade civil

Está acontecendo nessa quinta-feira, 08, a Conferência Livre Nacional de Migração, Cidadania e Garantia de Direitos, organizada pela Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu – Scalabrinianas, o Fórum Permanente de Mobilidade Humana do RS e o CIBAI/Migrações. O evento reuniu representantes das instituições realizadoras, migrantes, entre outros.

Na abertura do evento, Ir. Claudete Rissini, representando as Irmãs Scalabrinianas, destacou a importância da conferência para a temática migratória. “Cada participante presente neste evento desempenha um papel significativo, contribuindo para que todos os envolvidos sintam-se verdadeiramente parte integrante desse processo global”, afirmou

Ela sublinhou, ainda, a necessidade de adotar atitudes criativas diante dos fluxos migratórios atuais, que demandam respostas imediatas, “sem perder de vista um horizonte de soluções estruturadas e duradouras”. A intervenção necessária, ela afirma, “requer a participação de inúmeros agentes, instituições e, principalmente, daqueles que são protagonistas de suas próprias histórias: os migrantes e refugiados.”

“A conferência se destaca como um instrumento viabilizador da participação social, congregando diversos segmentos representativos da sociedade” e prioriza, além de tudo, assegurar a participação dos migrantes, público-alvo das políticas públicas para pessoas em deslocamento humano.

“É notório que os locais que ocupamos requerem estratégias de ação fundamentadas na ética da dignidade humana”, afirmou ela, destacando que, para isso, é necessário que prevaleçam a alteridade e a empatia, pois somente assim será possível compreender a mobilidade humana. “Em um compromisso constante com essa ética, devemos assumir a postura de ouvintes perpétuos dos migrantes e refugiados, compreendendo não apenas suas necessidades imediatas, mas também seus projetos e sonhos. Devemos esforçar-nos para garantir políticas sociais que não só promovam a cidadania, mas também assegurem a plena garantia de direitos”, disse.

Ir. Claudete falou, também, sobre os desafios enfrentados pelos migrantes, em especial as mulheres e crianças que, mesmo depois de chegarem aos locais supostamente seguros, ainda enfrentam riscos, tais como a xenofobia, exclusão e outros. “Ninguém deve ser excluído, pois o plano divino é essencialmente inclusivo, reconhecendo a dignidade de cada ser humano e sua cidadania universal”, afirmou ela, que ressaltou o pedido do Papa Francisco para que “tenhamos a capacidade de acolher, proteger, promover e integrar os migrantes em nossas localidades/comunidades e isso deve ser um empenho diário de cada um de nós.”

Alejandra Chacon, representando o CIBAI/Migrações e a mulher migrante, agradeceu o espaço de fala dado aos migrantes na Conferência e destacou a importância dessa participação na criação de políticas públicas. Ela ressaltou, ainda, as dificuldades enfrentadas pelos migrantes ao integrar-se na sociedade brasileira e a importância de políticas públicas que facilitem o acesso a direitos como educação, saúde e, ainda, à regularização migratória e ao CPF. Falou, também, sobre a importância da presença de um funcionário dentro das organizações públicas que oriente os migrantes sobre seus direitos ao chegar no Brasil.

Macaio Gomes, como representante do homem migrante, recitou uma poesia, na qual trouxe uma provocação sobre a situação migratória e falou sobre as barreiras colocadas à frente dos migrantes, deixando-os de lado da sociedade. Ele destacou, ainda, a importância de integrar as populações migrantes à sociedade, independentemente de terem migrado de forma forçada ou voluntária. “Os migrantes precisam se integrar e precisam se sentir como se estivessem na sua própria pátria”, enfatizou.

A programação do evento conta, ainda, com a discussão de propostas em eixos temáticos e a eleição dos delegados para a II COMIGRAR Nacional, que acontecerá de 7 a 9 de junho em Foz do Iguaçu/PR, e a sistematização das propostas construídas nos grupos de trabalho.

Da Equipe de Comunicação

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
fevereiro 2024
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]