Pesquisar

Primeiro grupo de migrantes embarca em “barcaça de asilo” no Reino Unido

Embarcação será utilizada como abrigo temporário para evitar hospedagem de migrantes em hotéis

Um grupo de 50 migrantes embarcou nessa segunda-feira, 7, na barcaça “Biby Stockholm”, atracada na ilha de Portland, no Reino Unido. Expectativa é de que até 500 homens, de idades entre 18 e 65 anos, morem na embarcação por tempo ainda indeterminado.

A embarcação faz parte do plano do primeiro ministro britânico, Rishi Sunak, para impedir as travessias de migrantes pelo Canal da Mancha, que em 2022 superaram as 45mil pessoas. Desde janeiro de 2023, mais de 13 mil migrantes cruzaram o Canal.

Entre os objetivos da utilização da barcaça, está a redução de custo com hospedagem de solicitantes de asilo em hotéis, que, segundo o governo britânico, chega a 6 milhões de libras por dia.

No dia 18 de julho, o Parlamento britânico aprovou uma nova lei de migração, que restringe drasticamente as solicitações de asilo no Reino Unido. A lei, criticada por ONGs e defensores dos direitos humanos, pretende frear as chegadas irregulares ao país.

O texto impede, por exemplo, que migrantes que cheguem ao Reino Unidos sem autorização solicitem asilo. Ainda, a lei permite a deportação acelerada para os países de origem ou um terceiro, como o Ruanda, com quem o governo tem um acordo para envio de migrantes e solicitantes de asilo.

Representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmaram, em comunicado, que a lei recém-aprovada é uma violação da lei internacional. “A maioria das pessoas que fogem da guerra e da perseguição não têm ou não conseguem acessar documentos formais, como passaportes e vistos. Rotas seguras e “legais” raramente estão disponíveis para eles”, escreveram.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
junho 2024
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]