Pesquisar

Quase 550 crianças já foram mortas desde o início da guerra na Ucrânia

Desde maio, 148 crianças foram mortas ou feridas em ataques

De acordo com a ONG Save the Children, o número de crianças mortas na guerra da Ucrânia aumentou mais de 7% entre maio e agosto, chegando a 545 fatalidades. No total, mais de 1.700 crianças foram mortas ou feridas desde o início da guerra.

Segundo a Save the Children, desde maio, pelo menos 148 crianças foram mortas ou feridas em decorrência dos ataques, sendo o mês de junho o mais mortal de 2023 para as crianças, com 11 fatalidades e 43 feridas.

“De acordo com dados verificados da ONU, houve um aumento no número de vítimas civis na Ucrânia entre 1 de maio e 13 de agosto, com junho a registar o maior número total de vítimas civis em 2023, com 865”, disse a Save the Children em comunicado.

Os números de crianças mortas e feridas na guerra aumenta junto com os ataques aéreos e de drones. Segundo a ONG, entre 1º de janeiro e 30 de abril foram registrados 459 ataques aéreos e de drones, número que aumentou para 1.432 entre 1º de maio e 4 de agosto.

Atualmente, segundo dados do ACNUR (Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), pelo menos 6,1 milhões de ucranianos estão refugiados em outros países, dentro e fora da Europa, sendo 1,6 milhão apenas na Polônia.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
abril 2024
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]