Pesquisar

Papa recorda migrantes que atravessam o deserto do Saara em saudação a jornalistas

Foto: Canva

Papa Francisco realiza viagem à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul de 31 de janeiro a 5 de fevereiro

Durante a costumeira saudação do Papa Francisco aos jornalistas que acompanham sua viagem à República Democrática do Congo, o Pontífice lembrou a situação dos migrantes que atravessam o deserto do Saara. No voo estão presentes 75 jornalistas de 12 países, sendo 2 africanos.

No momento em que o avião atravessava o Saara, após saudar os jornalistas presentes no voo, Francisco pediu que todos fizessem uma oração em silêncio “por todas as pessoas que, procurando um pouco de bem-estar, um pouco de liberdade, o atravessaram e não conseguiram”.

O Papa ainda recordou os centros de detenções para migrantes, existentes em vários países de onde partem barcos que tentam cruzar o Mediterrâneo. “Tantos sofredores que chegam ao Mediterrâneo depois de terem atravessado o deserto e são mantidos em campos de concentração e sofrem”, disse o Pontífice.

A viagem do Papa Francisco à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul, o país mais jovem do mundo, ocorre de 31 de janeiro ao dia 5 de fevereiro. Essa é a 40ª viagem internacional do Pontífice, que se encontrará com deslocados internos do Sudão do Sul e vítimas dos conflitos na parte oriental da República Democrática do Congo.

Durante a saudação aos jornalistas, o Papa Francisco disse, ainda, que gostaria de visitar Goma, capital da província de Kivu do Norte, na RDC, “mas com a guerra não dá para ir. Será somente Kinshasa e Juba, de lá faremos tudo”, disse Francisco. A região de Kivu, que compreende Kivu do Norte e Kivu do Sul, vive desde 2015 conflitos intensos.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
junho 2024
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]