Pesquisar

“Que o Mediterrâneo recupere sua vocação de ser um laboratório de civilização e paz”, pede Papa Francisco

Mais de 185 mil migrantes chegaram pelo mar aos países banhados pelo Mediterrâneo em 2023

Nessa quarta-feira, 27, o Papa Francisco falou aos fiéis e peregrinos na Praça São Pedro sobre sua visita a Marselha, para participar no encerramento dos “Encontros Mediterrâneos”, no último fim de semana.

Francisco disse que, durante sua visita, dedicou-se ao diálogo aberto sobre o futuro. Falando sobre o tema do evento, “Mosaico da Esperança”, ele afirmou que “este é o sonho, este é o desafio: que o Mediterrâneo recupere sua vocação de ser um laboratório de civilização e paz”.

O Papa destacou, ainda, que o Mediterrâneo conecta a África, Ásia e Europa; povos, culturas, línguas e religiões diferentes. “O Mediterrâneo é o berço da civilização, e o berço é para a vida! Não é tolerável que se torne um túmulo, nem mesmo um lugar de conflito”, disse.

O encontro em Marselha aconteceu após eventos semelhantes em Bari, em 2020, e em Florença, em 2022, o que, destacou Francisco, é “um passo à frente em um itinerário para responder, hoje, ao apelo lançado por São Paulo VI em sua Encíclica Populorum Progressio”, que pede a promoção de “um mundo mais humano para todos, um mundo em que todos tenham algo para dar e receber, sem que o progresso de alguns constitua um obstáculo ao desenvolvimento dos outros”.

Francisco ainda ressaltou a necessidade de “devolver esperança” às sociedades europeias e às novas gerações. “De fato, como podemos acolher os outros se não tivermos nós mesmos um horizonte aberto para o futuro? Os jovens, pobres de esperança, fechados no privado, preocupados em gerir sua precariedade, como podem se abrir ao encontro e à partilha?”, perguntou o Pontífice.

De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), desde janeiro 185,410 migrantes chegaram à Itália, Espanha, Grécia, Chipre e Malta através do Mar Mediterrâneo. Desses, 132.781 chegaram à Itália, que recentemente viu um rápido aumento nas chegadas de migrantes após a ilha de Lampedusa receber cerca de 10 mil migrantes em cinco dias.

Segundo o projeto Missing Migrants da Organização Internacional para as Migrações (OIM), desde janeiro 2.356 migrantes morreram ou desapareceram ao tentar cruzar o Mediterrâneo até a Europa. Em 2022, o total foi de 2.411 mortes ou desaparecimentos na região.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação, com informações de Vatican News

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
junho 2024
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados

[elfsight_whatsapp_chat id="5"]