“A santidade é um dom de Deus que recebemos no Batismo”, afirma Papa Francisco no Dia de Todos os Santos

Durante o Angelus, o Papa lembrou os fiéis de que os santos são “pessoas como nós”

Nesta quarta-feira, 1º de novembro, celebra-se a Solenidade de Todos os Santos. Hoje, a Igreja nos lembra que todos somos chamados a escolher seguir os passos de Jesus e buscar a santidade e a proximidade com Deus. Durante a oração do Angelus, na Praça São Pedro, o Papa Francisco refletiu sobre a santidade como um dom e um caminho.

“A santidade é um dom de Deus que recebemos no Batismo”, afirmou o Papa, que ressaltou que, se deixarmos esse dom crescer, ele “pode mudar completamente nossa vida”. Ele lembrou, ainda, que os santos não são heróis distantes ou inalcançáveis, mas sim “pessoas como nós.”

“De fato, se pensarmos bem, certamente já conhecemos alguns deles, alguns santos quotidianos: algumas pessoas justas, algumas pessoas que vivem a vida cristã com seriedade, com simplicidade… essas que eu gosto de chamar de ‘os santos da porta ao lado’, que vivem normalmente. A santidade é um dom oferecido a todos para uma vida feliz”, disse Francisco.

O Papa ressaltou, ainda, que todo dom recebido é motivo de comemoração e precisa ser acolhido, porque vem acompanhado da necessidade de uma resposta. Esses dons, segundo o Pontífice, devem ser agradecidos no esforço para que não sejam desperdiçados, ajudando uns aos outros, “unidos àqueles ótimos companheiros que são os Santos.”

Francisco convida, ainda, conhecer e se inspirar na vida dos Santos, pois “em suas vidas encontramos um exemplo, em suas orações recebemos ajuda e, na comunhão com eles estamos ligados por um vínculo de amor fraterno.”

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação, com informações de Vatican News

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
novembro 2023
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados